Bem vindo! Sua interação é importante neste espaço e em nossas vidas. Nosso trabalho não teria tanta relevância sem a ação do Espírito Santo e sem a sua participação. Faça um pouco mais pela causa missionária saindo das quatro paredes. Não limite a sua VISÃO nem o seu campo de atuação ministerial. Escreva-nos, ore, contribua ou divulgue este site. Seja PARTE deste projeto, pois "o nosso campo é o mundo"! Mateus 13.38

Claudemir Silva. Tecnologia do Blogger.

O Geração Semente

PROJETO GERAÇÃO SEMENTE
A República do Burkina Faso, antigo Alto Volta (em 4 de Agosto de 1984 o nome do país foi mudado para o atual) cujo significado e lema é o país dos homens íntegros cuja capital é a cidade de Ouagadougou.
Burkina Faso é um país do Sahel (região do Saara), localizado no oeste da África sem litoral, mas que faz fronteira com seis nações (limitado a oeste e a norte pelo Mali, a leste pelo Níger, e a sul pelo Benin, pelo Togo, por Gana e pela Costa do Marfim.

DEMOGRAFIA
A maioria da população vive no Sahel. Segundo informações a população caminha para 17 milhões de habitantes, deste percentual apenas 17 % vive nos centros urbanos. Sua densidade demográfica é de 39.7 habitantes por km², porém a taxa anual de crescimento é de 2.6 %. A expectativa de vida neste país estar entre 45 e 47 anos. O país possui a pior taxa de alfabetização do mundo (23,6%).

SITUAÇÃO ECONÔMICA
O Burkina Faso é um dos países mais pobres do mundo, com renda per capita inferior a US$ 300. Mais de 80% da população depende da agricultura de subsistência, altamente vulnerável à escassez de chuvas. Possui o segundo ou terceiro pior índice de desenvolvimento humano (IDH) duma lista de 177 países avaliados pela ONU em 2006. As indústrias virtualmente inexistem. Estatisticas afirmam que 5 milhões de pessoas fazem parte da força de trabalho, contudo uma boa parte destes trabalhadores migra anualmente para países vizinhos em busca de emprego temporário. Os principais produtos exportados são: Algodão, animais vivos e ouro.

ETNIA
As informaçõe não são precisa, calcula-se que exista entre 60 e 72 grupos étnicos lingüísticos no país. A maioria dessas diferentes etnias são religiosamente heterogêneas, apesar das comunidades Fulani e Dioula serem maioritariamente muçulmana. Dentre as etnias destacama-se os Mossi, habitantes originais que gozam de grande influência política.

IDIOMA
A língua oficial é o frances, porém no país é falado mais de 60 dialetos, dentre estes destacam-se o mossi e dioula, as duas principais línguas comerciais.

A SITUAÇÃO POLÍTICA
A constituição do Burkina Faso de 2 de Junho de 1991 estabeleceu um governo semi-presidencial com um parlamento (assemblée) que pode ser dissolvido pelo Presidente da República, que é eleito para mandatos de 5 anos. O actual presidente é Blaise Compaoré, que chegou ao poder em 1987 depois de um golpe de estado que matou Thomas Sankara. Não temos informações sobre a existência de conflitos políticos ou guerra civil como é frequente nos países africano.

O SISTEMA DE SAÚDE
A saúde é precária concentrando-se apenas em serviço de atendimento primário e em vacinação. O índice de mortalidade infantil é de 105,3 casos por mil nascimentos.

A RELIGIÃO
Embora estatísticas exatas sobre religião no Burkina Faso não são disponíveis e variam amplamente, o governo estima, que aproximadamente 80% da população prática o islã. A maioria deste grupo pertencem ao ramo sunita, enquanto que a minoria restantes adere a Shi'a, Tijaniyah, ou Salafi/Wahhabi sucursais. Destes 80%, uns 24% adere ou mantém crenças tradicionais indígenas em todo o país, especialmente nas comunidades rurais. Uns 17 % da população são católicos romano e uns 2% são membros de várias denominaçãos protestantes. Por causa da atual conjuntura social religiosa missionários estrangeiros tem chegado para trabalhar neste país.

As estatísticas sobre afiliações religiosas são aproximadas porque associação de crenças e práticas tradicionais indígenas é generalizada entre ambos os cristãos e muçulmanos. Além disso, a maioria dos cidadãos prática crenças religiosas tradicionais indígenas em diferentes graus, e ao cumprimento rigoroso de crenças cristãs e muçulmanas é muitas vezes nominal. Quase todos os cidadãos são fiéis a uma ordem sobrenatural, o ateísmo é praticamente inexistente.

Os muçulmanos residem em grande parte em torno do Norte, Leste, Oeste e fronteiras, enquanto cristãos vivem no centro do país. Ouagadougou, a capital, tem uma população mista muçulmana e cristã; No entanto, Bobo-Dioulasso, a segunda maior cidade do país, é maioritariamente muçulmana. As pequenas comunidades imigrantes sírios e libaneses residem nas duas maiores cidades e são esmagadoramente (mais de 90%) cristãos.

1) JUSTIFICATIVA - Burkina Faso é o quarto país mais pobre do mundo e o mais populoso da África. Bobo-Dioulasso, cidade onde iremos trabalhar é o segundo maior contingente nacional contando com aproximadamente 700.000 habitantes.

Segundo informações, 47% da população são crianças, o índice de mortalidade infantil chega a 105,3 mortes a cada 1000 partos normais, a expectativa de vida do povo é de 47,33 anos. Dados também revelam que 6,4% dos habitantes estão infectados com o vírus HIV e mais de 70 % da população compreendida entre 15 e 60 anos são analfabetos.

Ainda diante deste quadro, existe um grupo discriminado comumente chamado de “Garibus ou Talibes”. Estes são meninos de 5 a 20 anos que foram ofertados pelos pais ao islamismo.

Depois que são entregues nas mesquitas estas crianças não tem tratamento digno. Elas recebem uma lata de extrato de tomate vazia com a qual são obrigadas a saírem nas ruas para mendigarem de 8:00 as 18:00 hs para os “Marabus”, que são os líderes islâmicos. Somente em Bobo-Dioulasso são mais ou menos 3 mil meninos que diariamente enfrentam as ruas, os maus tratos, o abandono e a rejeição da sociedade.

Diante deste quadro de exploração e desprezo social nossa proposta é seguir para Burkina Faso visando apoiar os missionários Mamadou e Rejane Kologo que desenvolvem os respectivos projetos: A Casa Esperança (projeto que acolhe meninos oferecendo alimentação três vezes na semana), a Casa Refúgio (projeto que abriga os meninos que decidem abandonar o islamismo) e a Igreja Comunidade Evangélica.

Em vista dos respectivos projetos citados, estaremos somando forças com a equipe local explorando o futebol e o artesanato como estratégia para difundir a cidadania, a educação e o conhecimento da Palavra de Deus esperando que por meio desta semeadura possamos gerar discípulos que sejam preciosas sementes em sua geração.

Porquanto, o foco do Projeto Geração Semente é servir e apoiar adultos, jovens e crianças conduzindo para uma vida vitoriosa livre da marginalização, do engano religioso, do abuso e do preconceito.

2) OBJETIVO GERAL:
Visto a realidade local do país, nosso objetivo é alcançar os muçulmanos através de:
- Assistência aos jovens e crianças como treinador de futebol;          
- Trabalho com mulheres;
- Trabalhos manuais;
- Ajudar no discipulado de obreiros;
- Implantação de igrejas.

3) OBJETIVO ESPECÍFICO:
- Levar o evangelho integral visando o homem como um todo;
- Montar uma escola de futebol para atender aqueles que não podem vir à igreja;
- Atrair mulheres através de artesanato;
- Oferecer lanches para ocasiões específicas com mulheres, crianças e jovens;
- Após conquistar o povo, dá início a uma evangelização pessoal ou em grupo;
- Conseguir os materiais necessários para desenvolver cada atividade.

4) ALVOS:
A Curto Prazo - Fazer o Programa de Imersão Cultural (PIC), conquistar o povo burkinabe através de relacionamentos, atividades diversas e evangelismos.
A Médio Prazo - Apoiar ministérios existentes, fazer viagens curtas e investigativas para implantar trabalho pioneiro.
A Longo Prazo - Aprender o dialeto principal da região, estabelecer trabalho pioneiro, fundar igrejas e formar obreiros nacionais para dar continuidade ao trabalho.

5) CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO
Curto prazo: aproximadamente 04 meses
Médio prazo: aproximadamente 24 meses
Longo prazo: aproximadamente 36 meses
Nota: Estamos incumbidos de apoiar os Missionários Mamadou e Rejane Kologo por um período projetando depois deste tempo sairmos para um campo pioneiro.

6) METODOLOGIA
- Aprendermos o Frances em um ano para melhor se comunicar com o povo;
- Fazer reuniões com grupos específicos;
- Explorar a visão do kids games e recreações como estratégias de abordagem;
- Utilização de um local adequado para os encontros.
- Fazer trabalhos sociais tais como: Educação, Projeto Semente e artesanatos.

7) NECESSIDADES - Para atender aproximadamente entre 100 a 150 pessoas entre mulheres, jovens e crianças precisaremos de:

a) Necessidades Pessoais:
Aluguel, transporte, despesa de água e luz, aula de frances, plano de saúde, alimentação, vestimenta, seguro de vida (Exigência da MA), comunicação via telefone e internet, INSS, FAM – Fundo de Apoio ao Missionário da MA, taxas administrativas da MA, previdência privada no Brasil e dízimo. Valor total para um casal em Burkina Faso é de vida é 4.000,00 reais.


b) Necessidades do projeto:
- Espaço para realização do trabalho;             
- Material para o futebol;
- Material para o trabalho com as mulheres;
- Livros em Frances.
- Custo aproximado para elaboração deste projeto é de 1.000,00 reais.

8) FORMAS DE CONTRIBUIÇÃO

1 - Missão Antioquia - SP - Emails:
contacorente@uol.com.br - (Tesouraria dos missionários)
maladireta-ma@uol.com.br - (Solicitar boleto bancário)
Telefone (011) 41361272

2 – SEMADEM - RJ - Emails:
missoesrenato@yahoo.com.br - (Pr. Renato da Conceição, diretor da SEMADEM)
missoesadm@yahoo.com.br - (Rose, secretária da SEMADEM)
Telefone: (021) 33401185

3- Nossa Conta Bancária - Banco Bradesco – Agência: 0527 – C/C: 0511472-1

9) FORMAS DE CONTATO
1. Através das cartas bimensais (via email);
2. Envio de fotos do desenvolvimento do trabalho (via email);
3. Prestação anual de relatório (via email);
4. Telefonemas.

Emails pessoais:
claudemirsilva537@homtail.com (Missionário Claudemir)
jjpae@hotmail.com (Missionária Etelvina)

10) Bibliografias

O Legado da Nossa geração 
Uma reflexão do Projeto Geração Semente - Mt13.38
 
A cada dia e ano, milhões de pessoas nascem e morrem numa velocidade assustadora e o mais triste desta realidade estar na falta de oportunidade que alguns povos enfrentam. A justiça, o direito a liberdade e de expressão não fazem parte do vocabulário de algumas nações como é o caso de Burkina Faso, onde meninos garibous são escravizados pelos líderes islâmicos. Diante desta realidade seguiremos para este cenário propondo sermos instrumentos de Deus na tentativa de diminuir a ignorância religiosa, o desprezo social e a exploração islâmica que é fruto de uma cosmovisão escravocrata, distorcida e injusta.

Em nossa geração é urgente respondermos na medida do possível as inúmeras demandas que temos na evangelização. Somos a boa semente de uma nova geração de missionários que o Senhor tem levantado com a responsabilidade de preparar discípulos cujo coração deseje alcançar e mudar um mundo perdido (At2.40b).

Em nossa geração desejamos ser a resposta da igreja no combate da opressão, não queremos ser ícones de uma nação ou mesmo de uma ideologia ou religião. Morreremos felizes se fomos lembrados como servos que contribuíram para possibilitar um futuro melhor para crianças, jovens e adultos.

Em nossa geração cremos que podemos fazer a diferença ajudando quem precisa, acolhendo quem padece, amando quem é abandonado e anunciando quem pode salvar, Jesus!

Em nossa geração almejamos fazer parte de uma equipe que alvoroçou o reino das trevas semeando amor, compaixão, justiça, bons princípios, respeito, educação, solidariedade e não intolerância, radicalismo ou preconceito.

Em nossa geração sonhamos ser lembrados pela cultura burquinabe como brasileiros que obedeceram ao Senhor da seara na proposta de apresentar um evangelho que transforma o homem e a sociedade.

Em nossa geração caminharemos com proposta semelhante a Daniel que desejou não se contaminar na Babilônia; ousaremos como Paulo cuja filosofia era apresentar o Cristo ressurreto onde Ele não fora anunciado; empreenderemos como Davi que ainda na caverna de Adulão conseguiu mudar o panorama de vida de homens marginalizados.

Em nossa geração queremos deixar marcas, florecer, formar discípulos, implantar igrejas e escrever bons capítulos de uma nova história no país dos homens íntegros. O legado da nossa vida e trabalho será promover a base do ministério de Jesus, a justiça de Deus! Este projeto conta com seu apoio.

Por Claudemir Oliveira
Template Rounders modificado por ::Blogger'SPhera::
| 2008 |